Câncer de Mama: o que devo saber

Outubro Rosa conscientiza mulheres do mundo inteiro sobre a prevenção do Câncer de Mama (Créditos: Google).

Olá, meninas! Tudo bem?

Estamos em Outubro e é hora de falarmos sobre o Câncer de Mama, afinal esse é o mês da campanha de conscientização da doença: Outubro Rosa.

Vamos te inteirar sobre o assunto, para que você tome o maior cuidado possível consigo mesma!

Outubro Rosa

A campanha nasceu com a intenção de alertar a sociedade sobre o diagnóstico precoce da doença. A mobilização visa a disseminação de dados preventivos e ressalta a importância de olhar com atenção para a saúde, além de lutar por direitos com tratamento médico e suporte emocional, garantindo um tratamento de qualidade.

O movimento teve início em 1990 em um evento chamado “Corrida pela cura” que aconteceu em Nova York, para arrecadar fundos para a pesquisa realizada pela instituição Susan G. Komen Breast Cancer Foundation.

O evento ocorria sem que houvessem instituições públicas ou privadas envolvidas. A medida em que cresceu, outubro foi instituído como o mês de conscientização nacional nos Estados Unidos, até se espalhar para o resto do mundo.

Sobre o Câncer de Mama

O Câncer de Mama é um tumor maligno que ataca o tecido mamário e é um dos mais comuns, de acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer). Ele se desenvolve quanto ocorre uma alteração de apenas alguns trechos das moléculas de DNA, causando a multiplicação das células anormais que geram o cisto.

A doença atinge principalmente as mulheres em torno da menopausa (entre 45 e 55 anos), mas cistos benignos podem aparecer antes e devem ser tratados. Herança genética, obesidade, número elevado de ciclos menstruais estão entre os principais fatores que estimulam o surgimento.

O autoexame

O autoexame deve ser feito mensalmente, a partir dos 21 anos. Aconselha-se ser feito 7 dias após o início da menstruação. Após a menopausa, deve-se definir 01 dia do mês e realizá-lo sempre com intervalo de 30 dias.

Ele é feito por si mesma para verificar a presença de câncer nos seios, sendo que o objetivo principal é fazer com que a mulher conheça detalhadamente suas mamas, o que facilita a percepção de quaisquer alterações, tais como pequenos nódulos nas mamas e axilas, saídas de secreções pelos mamilos, mudança de cor na pele, etc.

Procure sempre por protuberâncias, ondulações, cheque a espessura dos seios e a liberação de líquidos pelo mamilo.

O câncer de mama é descoberto, em sua maioria, por meio de autoexame. Quanto mais cedo for descoberto, as chances de cura são maiores.

Como fazer o autoexame?

– De pé, pressione as mamas com as pontas dos dedos em frente ao espelho, primeiro com um dos braços voltado para baixo, sempre observando os seios. Logo após, repita os toques agora com uma das mãos na cintura. E por fim, com uma das mãos atrás da cabeça, qualquer anormalidade como rugosidade, saliências ou depressões na região das mamas, deve ser notada durante o autoexame. Após isso, pressione os mamilos apertando-o levemente, note se há algum fluxo de líquido ou se ele está voltado para dentro, essa pode ser uma característica de que haja o tumor.

– Com os seios ensaboados, apalpe-os com três dedos de uma das mãos juntos, a mão esquerda deve conferir a mama direita e vice e versa. Procure fazer movimentos circulares por todo o seio, em especial na parte superior dele. Apalpe também as axilas e o pescoço procurando algum tipo de secreção, caroço, saliências ou outra alteração consistente.

– Deite e apoie o braço direito sobre a sua cabeça e utilize a mão esquerda para apalpar a mama direita. Siga apalpando a mama em movimentos circulares levemente. Procure apalpar também as axilas e repita esse processo para apalpar a mama esquerda, apoiando o braço esquerdo e usando a mão direita para efetuar os movimentos.

A mamografia

Este exame é a principal tecnologia a serviço das mulheres para o diagnóstico precoce do câncer de mama. Trata-se de um exame de imagem, que identifica microcalcificações (pequenos cistos de cálcio que se depositam em lugares diversos do corpo), assimetrias, nódulos ou lesões nas mamas, que não seria possível de identificar com a simples palpação.

A recomendação é que ele seja feito bienal ou anualmente, conforme indicação do seu médico. Segundo orientação da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), mulheres acima dos 40 anos devem fazer o exame anualmente.

Por outro lado, o Instituto Nacional de Câncer (Inca), seguindo critérios da Organização Mundial da Saúde, orienta que o exame seja feito por mulheres entre os 50 a 69 anos de idade bienalmente.

Para mulheres com uma ou mais parentes de primeiro grau (mãe, irmã e/ou filha) que tiveram câncer de mama antes dos 50 anos, o Ministério da Saúde recomenda começar os exames mais cedo. Nestes casos, a paciente pode realizar o exame 10 anos antes do caso mais precoce entre as parentes que tiveram a doença.

Antes dos 25 anos a mama é mais suscetível à radiação, por isso, a mamografia não deve ser realizada nessa faixa etária, mesmo em mulheres que tiveram casos familiares precoce, como aos 30 anos, por exemplo. Antes dos 25 anos de idade, a indicação para prevenção é a ultrassonografia.

Já trouxemos todas as informações para você, agora é se cuidar para evita-lo, bem como fazer a descoberta de forma mais precoce possível para que as chances de sucesso no tratamento sejam as mais altas!

Continue acompanhando a Yep Cosméticos pelas redes sociais!

Forte abraço e até a próxima!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *